sábado, 26 de setembro de 2015

Atemoia, As Plantas Curam



Dona de uma polpa doce e macia, a atemoia está caindo nas graças do brasileiro. Além de sabor, a presença da fruta na dieta proporciona uma boa fonte de potássio, que pode beneficiar os músculos do corpo, incluindo o coração

A casca verde tem uma aparência bruta, mas dentro, a atemoia oferece cerca de 70% de água e um sabor único. Ela se originou na África do Sul e em Israel por meio do cruzamento entre a fruta-do-conde (ou pinha) e a cherimoia. “A fruta-do-conde e a cherimoia são os pais da atemoia”, conta José Antônio da Silva, pesquisador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. A atemoia chegou ao Brasil apenas na década de 1960 e, hoje, é produzida no Sudeste e no Nordeste do País.

Propriedades Nutricionais

Silva explica que a atemoia tem caído no gosto dos consumidores por ter a polpa saborosa e macia, além de as sementes soltas. Assim, ela pode ser consumida “de colher”, como o mamão. Apesar de tentadoramente doce, é importante não exagerar no consumo. “A atemoia é rica em carboidratos simples, especialmente em açúcares. Em uma unidade pequena da fruta há aproximadamente 20g de açúcares e 97 calorias”, explica Luiz Roberto Queroz, presidente do Departamento de Nutrologia da Associação Paulista de Medicina (APM). Ele aponta que, entre as qualidades da fruta, está a presença de fibras insolúveis, boas para o intestino, e da vitamina C, um poderoso antioxidante, que também participa da produção de colágeno. Fonte de minerais, a atemoia se destaca ainda no teor de potássio. “Ele é importante no controle dos líquidos corporais, na contração dos músculos, na produção dos impulsos nervosos e na manutenção dos batimentos cardíacos”, diz Flávia Fuzzi, da Câmara Técnica do Conselho Regional de Nutricionistas da 3ª Região (MS/SP).

Propriedades Medicinais

Como toda fruta rica em potássio, o consumo regular de atemoia pode auxiliar no controle da pressão arterial, comenta Flávia Fuzzi. “O mineral ainda auxilia no combate à fadiga, dores musculares e às câimbras.” Ela alerta porém que o consumo excessivo é contraindicado para pacientes com insuficiência renal.

A atemoia é fonte de energia sendo indicada para “dar um gás” nos compromissos do dia a dia.

É regulador da pressão

Devido à presença de potássio em sua polpa, a atemoia auxilia na redução da pressão arterial, pois esse mineral é vasodilatador. Usado pelo nosso corpo para equilibrar a água, o potássio é também elemento necessário para a contração muscular. Uma dieta rica nesse mineral é ótima para os praticantes de atividades físicas em geral.

Deve ser consumida in natura

O melhor jeito de ingerir a fruta é da forma como a natureza nos mandou, pois assim se preservam osnutrientes. Caso você opte pelo suco, por exemplo, a vitamina C se perderá em cerca de 20 minutos a partir do momento em que a bebida foi preparada. Além disso, as fibras presentes também se quebrarão.

Casca e sementes podem ser aproveitadas

“Se devidamente usadas, não fazem mal à saúde”, explica a nutricionista Juliana Fontes. Embora seja difícil consumir a casca in natura por ser pontiaguadaáspera e não ter um sabor muito agradável. Para isso, ela apresenta uma sugestão: “Pode ser usada para fazer geleia ou até mesmo compota. A casca possui fibras e minerais”. E as sementes? “Ricas também nesses elementos, podem ser trituradas e colocadas sobre iogurtesfrutassaladassorvetes e até mesmo no arroz com feijão”, responde Juliana.

Compre na estação

Já é tempo de atemoia – e o período vai até novembro. Durante a safra de qualquer alimento, suaqualidade nutricional é melhor, apresentando maiores taxas de nutrientes; em especial, as vitaminas e os minerais. “E quanto mais maduro o fruto estiver, maior sua quantidade de nutrientes”, ressalta a nutricionista.
FONTE DE ENERGIA
A atemoia é fonte de energia (243 calorias em uma unidade de 250 g), sendo indicada para “dar um gás” nos compromissos do dia a dia. Isso se deve à grande quantidade de carboidratos encontrada em sua polpa. “Sendo assim, ela deve ser consumida commoderação, principalmente por quem está tentando controlar os ponteiros da balança”, alerta a nutricionista.

Rica em fibras

As fibras são importantíssimas para o adequado funcionamento intestinal, além de diminuir a absorção de açúcar e de gordura, sendo ideal para quem tem diabetes e/ou colesterol elevado.